quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Montrose 1974 Paper Money


Montrose foi uma banda de Hard Rock estado unidense.

   Segundo álbum do grupo. Se vvocê é daqueles que pensa que Sammy Hagar caiu de paraquedas no Van Halen e começou sua carreira no 5120 está muito enganado, pois o Montrose foi sua primeira banda. Formado pelo guitarrista Ronnie Montrose, a banda que leva seu nome não foi tão popular quanto os grupos ingleses de Hard Rock, mas que nos deixou um belo legado.

Descrever a sonoridade desse grupo é uma missão sem dúvidas difícil, uma vez que Montrose é uma daquelas bandas que incorporam elementos progressivos e rock 'n' roll das antigas (R&B, Blues e Country) e Hard Rock americano. Algo que pode ser considerado característico da banda é o minimalismo nas gravações. A primeira faixa é quase um Steely Dan só pra você ter noção.

Dentre toda discografia do Montrose, esse álbum é para mim o mais especial. Temos uma excelente seleção de faixas muito bem distribuídas no disco. Connection é um cover dos Rolling Stones e, caramba, que cover! Nunca ouvi nada parecido com essa versão de Connection. Temos I Got The Fire que foi posteriormente coverizada pelo Iron Maiden é outra excelente faixa. Enfim, de todas as faixas, a minha favorita é a magistral Spaceage Sacrifice.


Träcklist:

01.Underground
02.Connection
03.The Dreamer
04.Starliner
05.I Got the Fire
06.Spaceage Sacrifice
07.We're Going Home
08.Paper Money


Lineup:

Sammy Hagar – lead vocals
Ronnie Montrose – guitar
Alan Fitzgerald – bass guitar
Denny Carmassi – drums



Montrose 1974 Paper Money Full Album






domingo, 22 de novembro de 2015

Heavy Metal nos Videogames

A postagem de hoje é dedicada aos games que fizeram parte da vida de muitos!

   Antes de jogos como Guitar Hero já existiam jogos com a temática musical do Rock e Metal, dentre eles está o Rock 'n' Roll Racing que trazia de Stepenwolf (Born To Be Wild) a Black Sabbath (Paranoid) e Deep Purple (Highway Star) e é sem dúvidas interessante como os sintetizadores fazem um excelente trabalho na execução das músicas, pois qualquer fã as reconhece.

Rock 'n' Roll Racing Soundtrack



   Outro jogo de corrida que segue essa proposta do Rock 'n' Roll Racing foi o Twisted Metal, que teve, inclusive, seu lançamento pro Playstation 3.


Twisted Metal Theme



   Dentre os jogos do saudoso Playstation clássico acredito que o que mais divulgou a cultura Rock e Metal foi Tony Hawk Pro Skater. Lembro que um dos primeiros contatos que tive com o Motörhead foi no Tony Hawk Pro Skater 2, que trazia Ace of Spades na sua track list e a não menos memorável Blitzkrieg Bop dos Ramones.


Tony Hawk Pro Skater Soundtrack



   Por fim, o maior divulgador do Rock foi de longe GTA San Andreas: o jogo da franquia GTA mais jogado e talvez o mais lembrado. Recordo-me de uma conversa que tive com meu amigo Jhonas sobre como a rádio K-DST o apresentou ao Creedence Clearwater Revival e ao Foghat, foi me lembrando desse diálogo que tive a ideia de fazer essa postagem, pois Jhonas falara com muito carinho essas lembranças que teve jogando esse violento e subversivo jogo de Play 2. 
   Realmente, assim como Jhonas, sempre que estive conversando sobre Rock e Metal com o pessoal da minha geração o game GTA é mencionado e de fato, vários garotos conheceram algum som novo pelo GTA, seja Rock, Hip-Hop, Soul, House, Raggae etc.


GTA San Andreas - Slow Ride by Foghat



   Atualmente falasse bastante sobre Guitar Hero e reconheço que este é o principal videogame a tratar de música de forma mais ampla, visto que o jogador simula, mesmo que de bem vagamente, a experiência de tocar guitarra. O que existia no final de noventa e início do novo século eram as máquinas de dança nos fliperamas e que receberam tapetes para o Playstation 2 logo em seguida, mas "tocar guitarra'' num videogame é algo relativamente novo, que provavelmente começou em meados de 2005, acredito, e que aconteceu o inverso das máquinas de dança: os simuladores de guitarra começaram com os consoles caseiros e foram para os fliperamas.
   Guitar Hero influenciou e continua a influenciar muita gente a ouvir aos clássicos, como GTA influenciou e continua a influenciar.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Gorgon: NWOBHM From Japan

Essa postagem é dedicada à banda mais NWOBHM do Japão. Infelizmente o trabalho desses mestres caiu no ostracismo e são poucos os que conhecem os registros desse grupo.  Trata-se de nada mais nada menos que o Gorgon.

Banda de fora da Europa que lançou seus plays no final dos anos '80. Bem, eu imaginaria que se tratasse de uma banda de Groove Metal, mas Gorgon é puro NWOBHM à Angel Witch. Os rapazes mandam por vezes Rock 'n' Roll; outros momentos arriscam umas baladas, mas tudo muito legal.

Apesar de tantos pontos fortes o som dos caras é bem simples, às vezes um tanto quanto que amador e os discos estão em sua maioria com graves falhas de gravação. Contudo, vale dar uma conferida se você gosta tanto da NWOBHM quanto eu.

Só não posto nenhum play completo por não ter encontrado nada. Sabemos que há um bom número de sons que só existem em mídias físicas e são absurdamente raras, por isso devemos nos contestar com o que aparece na internet.


Cold Hearted Woman





Heavy Metal Mania





Bad Girl

Perceba a clara referência ao Bitches Sin





A Lonely Man





Savage





Spellbound



quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Antisect 1986 Out from the Void


Antisect é uma banda Crust punk Inglesa.

EP do grupo. Antes da separação eles lançaram esse álbum e só retornaram com a banda vinte e poucos anos mais tarde. O grupo nos deixa esse clássico que ao meu 'ouvir' é indispensável a todos que curtem Thrash Metal e suas variantes, como o Crustcore.



Träck list:

01.Out From The Void Part 1
02.Out From The Void Part 2


Lineup:

John Bryson - bass/vocals
Pete Lyons - guitar/vocals
Pete Paluskiewicz - drums



Antisect 1986 Out from the Void


sábado, 19 de setembro de 2015

Nem só de Metal Vive o Homem...

   Semanas atrás estava decididamente decidido a começar a fazer alguns textos pro Raridades, pois sei que ando devendo algumas satisfações aos que visitam o blog, então eis que o teclado de meu notebook começa a travar e, 'do nada', metade de suas teclas param de funcionar fazendo com que meus planos de novas postagens sejam engavetadas, esperando momento oportuno. Mas aqui estou: em frente ao notebook, escrevendo com o teclado virtual (o que me atrasa bastante, diga-se de passagem) algo que estou inventando de improviso.
   O motivo pelo qual não é um álbum, EP, Demo, Split etc. o objeto da postagem se deve pelo simples fato da minha internet está capenga e só dando sinais de vida em horários inoportunos, como no período matutino, juso quando não me encontro em casa.
   Então, alguns devem perguntar, "mas e pelo celular?", ora, nunca usei internet pelo celular. Não faço sequer ideia de como fazer textos ou mesmo upar arquivos num micro computador.
   Contudo, além desses empecilhos, o que me fez reduzir as postagens do Raridades foi o fato daquele-que-vos-fala não ouvir metal como antes, o que é uma pena. Infelizmente não tenho procurado sons novos já tem algum tempo, mas tenho escutado ocasionalmente Rock Progressivo, Exótica, Experimental e uns Bregas. Isso aí, sou um cara eclético apesar de ser um profundo admirador da cultura Heavy Metal Mundial.
   Acredito que todos ouvem coisas diferentes, senão não veríamos grupos Avant Garde que misturam Post-Rock e Black Metal, criando um Atmosferic novo e diferente direto de um país americano. Ou talvez uma banda chinesa que misture Folk e Death Metal se torne sua banda favorita, da mesma forma que aquele seu amigo aficionado por Rock Psicodélico acabou deixando Pink Floyd de lado pra ouvir os ragas de um grupo indiano de Rock Progressivo. Vocês me entenderam.
   Continuarei com as postagens, quando será a próxima? só o tempo dirá, mas acredito que em breve, e elas serão cada vez mais pessoais, assim como essa, afinal de contas creio que amadureci um pouco desde que iniciei o Raridades e, sinceramente, não pretendo parar com o blog. Lógico, jamais desvirtuarei a proposta inicial do blog: Falar sobre Heavy Metal nas suas diferentes vertentes e apresentar sons novos.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Motörhead 1980 The Golden Years Live


Trago um EP que fora lançado como bonus track do CD Overkil. Talvez alguns não conheçam e é por isso mesmo que vos apresento esse som pré-No Sleep 'til Hammersmith.


Träck List:

01.Leaving Here
02.Stone Dead Forever
03.Dead Men Tell No Tales
04.Too Late, Too Late


Lineup:

Clarke - Guitars
Kilmister - Bass
Taylor - Drums



Motörhead 1980 The Golden Years Live


quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Anti-Cimex 1993 Scandinavian Jawbreaker

Cover 1



Cover 2 (Original Cover)



Cover 3 (Alternative)

Anti-Cimex foi uma banda de D-beat sueco.

Último álbum da banda. Bem, material do Anti Cimex não é novidade no blog e por isso resolvi postar o álbum completo, justamente aquele que eu considero ser o melhor play do grupo. No Scandinavian Jawbreaker encontramos a banda em seu ápice, criando músicas que nem o Discharge na década de 90 criava, o que sem dúvidas é impressionante. O estilo de algumas faixas lembram o NYHC do Hatebreed e até me arriscaria a dizer que lembra o Agnostic Front, mesmo que vagamente.

Ideal para os que procuram algo cru, pesado e direto como o Discharge e Motörhead, seguindo a linha paralela de grupos fortemente influenciados pelos suecos: Inepsy, Toxic Holocaust etc. 


Täck List:

01.Braincell Battle
02.Only In Dreams
03.Dogfight
04.Hatred
05.Scandinavian Jawbreaker Part I
06.Scandinavian Jawbreaker Part II
07.New Blood
08.Pain (U Bring Me)
09.Of Ice
10.Heading For Hell
11.Rust Never Sleep
12.Nailbiter


Lineup:

Bass, Backing Vocals – Lefty (6) (tracks: A6)
Drums – Charlie*
Guitar [Additional Solo] – Alf Svensson (tracks: B3)
Guitar [All], Backing Vocals, Vocals [Effect And Lead] – Cliff* (tracks: B3)
Lyrics By – Cliff* (tracks: A1 to A4, A6 to B4, B6), Freke Jones* (tracks: A5), Lefty (6) (tracks: A6), Richie Jointrix (tracks: B5)
Vocals – Freke Johns*



Anti-Cimex 1993 Scandinavian Jawbreaker